É difícil imaginar que o empreenderismo começou ao acaso na carreira de Luis Gilmar Holdefer. O presidente da Wealth Systems, empresa de software nascida em Cascavel e operando em pelo menos cinco países, é técnico agrícola, mas deixou o sítio da família para fazer contabilidade, uma decisão que o levou para o caminho do empreendedorismo.

Luis acabou se matriculando por engano em um curso da área de tecnologia ao confundir os termos entre os cursos na inscrição ao pré-vestibular da faculdade. Após quatro meses no curso “errado”, abandonou a ideia de contabilidade e seguiu em frente, concluindo a graduação na área de informática. Aos 20 anos já lecionava na UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) nesta área.

Quando começou a esboçar sua empresa de software Luis ainda trabalhava na multinacional HP Consulting (braço da Outsourcing em Software da HP Invent), em Curitiba, onde vislumbrou uma série de oportunidades e conheceu conceitos como mobilidade, acesso à informação e tomada de decisão.

SalvarSalvar

Me encantei com a possibilidade de encarar a informação como algo de valor, ao invés de só capturar dados.

Luis Gilmar Holdefer

Após a fusão com a COMPAQ, a multinacional HP Consulting fechou a unidade no Brasil e Luis pode dedicar seus dias, noites e fins de semana exclusivamente para o negócio da sua vida. Desde 2001, a Wealth Systems enfrenta o mercado com altos e baixos (mas bem mais do primeiro). O maior desafio foi sair do mercado por um ano para reverter uma situação que beirava a falência.

Há pouco mais de 10 anos o empresário tomou uma decisão que determinou (sem saber ao certo) o futuro do seu negócio. Ao perceber a falta de processos e técnicas de gestão em sua companhia, Luis encarou um processo de reconstrução de conceito durante seis meses para mudar o modus operandi da empresa e tirá-la de um risco de falência eminente. “Deixei de ser um profissional técnico e da inovação para dar mais valor aos números e aos conceitos da administração”, diz.

Na época o Empretec, programa de capacitação empresarial do Sebrae para incentivar o empreendedorismo, abriu seus olhos e os três anos seguintes foram dedicados a uma remodelação profunda da empresa em uma época em que a vida pessoal também passava por um momento bastante difícil. Para isso tomou uma decisão arrojada (ou arriscada): sair do mercado para colocar a “casa” em ordem.

“Não vendemos nada por um ano. Decidimos ser uma empresa de software e de serviços, então partimos para a reestruturação de processos e práticas de gestão, o que levou pelo menos três anos de trabalho árduo e grandes investimentos”, explica Luis. Os resultados não demoraram para surgir e a ameaça de falência já era uma lembrança quase esquecida diante do avanço da Wealth rumo ao mercado global.

SalvarSalvar

Fruto dessas ações, entre 2012 e 2015 o faturamento da Wealth multiplicou cinco vezes. Além disso, a empresa criou um laboratório para empreendedorismo, pesquisa e inovação, equiparando a visão de inovações com grandes empresas do mercado como TOTVS, Microsoft, Salesforce, entre outras companhias que valorizam o empreendedorismo. Também implantou uma base permanente no Vale do Silício e criou um programa de ideias para desenvolver e premiar os melhores projetos de clientes.
Agora o desafio é criar uma identidade e presença global. Assim começaram os projetos para modelar a empresa que já possui conexões no Paraguai, Chile, Colômbia, Inglaterra e Estados Unidos.
💪🏻 🚀

Quer empreender?

DESENVOLVA SUAS HABILIDADES – Para Luis existem dons inquestionáveis, mas também virtudes que podem ser desenvolvidas. Empreendedorismo, para ele, é uma habilidade, por isso o empresário acredita que qualquer pessoa pode ter esse perfil. Ele, inclusive, não nasceu com esse ímpeto, só sentiu essa necessidade ao ser provocado a criar algo. “O conhecimento está acima da força de vontade, ambos são aliados para evitar o fracasso”, reforça ao comentar sobre a importância da capacitação.

SalvarSalvar

Qualquer empreendedor deve partir da negação de sua própria vontade para atender a dos outros. Quanto menos anseios e expectativas pessoais, mais você tem chances de ser assertivo nos negócios.

ESCUTE O MUNDO – O que o mundo precisa pra viver melhor? Qualquer um pode resolver os problemas do mundo, ainda mais empregando a tecnologia como ferramenta. Para Luis, a grande sacada da tecnologia (ou do empreendedorismo) está em saber o que o mundo precisa pra viver melhor. “A gente se provê, mas a gente está se ouvindo? Ao ouvir e dialogar a gente consegue criar um conceito de inovação”.

SalvarSalvar

Vamos conversar com as pessoas, parar de olhar de fora e achar que tem a melhor solução. Não deduza, deduzir é um câncer nas empresas, principalmente brasileiras.

ERRE SEM FRACASSAR – Para o Luis, o erro deve ser encarado como algo comum, mas considerado em sua pequena manifestação. “Quando o brasileiro erra normalmente gera estragos grandiosos. Os grandes erros são destruidores, quebram e causam ruído emocional na família”, complementa. Segundo o empresário, é preciso qualificar os erros no momento certo, para lidar melhor com os fracassos e amadurecer. “Errar é essencial, desde que o erro seja observado em todas as suas dimensões.”

SalvarSalvar

O erro faz todo sentido, mas vivemos em um país em que errar é considerado um fracasso.

Luis e equipe da Wealth Systems

Com Patricia Oliveira (Assistente Administrativo), Giovani dal Piva (Gerente Wealth Labs), Evandro Tenfen (Gerente Geral) e Kenzo Araujo (Gerente de Suporte)

Quotes do Luis

Durante a conversa com a Rulez, Luis resumiu (sem perceber) alguns momentos em frases que são inspiração pura. E é claro que nós vamos compartilhar com você! Aproveite 🙂

  • Quem não olha um pequeno erro não vai transformar o grande em aprendizado.
  • Goste do que faz, mas que dê retorno financeiro, senão é filosofia.
  • Emoção desequilibrada da razão é o maior vilão da inovação.
  • Inovação é um processo de reciclagem, colaboração e percepção mútua.
  • Empreender é muito mais uma reunião de virtudes do que instinto.
  • Se quer ser uma águia, fique perto delas.
Luis da Wealth Systems

Na Wealth Systems com parte da equipe de quase 180 colaboradores

Trajetório do emprendedor

  • 2000 – Um representante comercial pediu um sistema e o pedido se tornou projeto de fins de semana e noites, em paralelo ao emprego com carteira assinada.
  • 2001 – HP fechou a divisão de consultoria no Brasil, o que serviu de incentivo para a fundação da Wealth Systems e a operação exclusiva do próprio negócio.
  • 2002 – Sistema pronto e no mercado já com clientes como Frimesa, que ajudou a amadurecer e impulsionar o negócio no mercado.
  • 2004 – Avançou para o mercado do agronegócio e utilizou conhecimento de sua formação a favor do negócio, mas a empresa ganhava corpo sem estrutura de gestão.
  • 2005 – Apesar de possuir bons clientes, a empresa chega ao estágio da beira de falência. A falta de gestão administrativa colocou a empresa em uma situação complicada. Seis meses dedicados à mudança do modus operandi do negócio.
  • 2006, 2007, 2008 – Saiu do mercado e passou um ano sem vender para realizar uma completa reestruturação administrativa que levou três anos.
  • 2009, 2010, 2011 – Decidiu não ser apenas uma empresa de software, mas de serviços. Uma reestruturação de processos concluiu seis anos de trabalho para suportar um crescimento sustentável e manter o padrão de qualidade.
  • 2012 – Entrou fortemente no mercado com um produto completo, conquistando clientes como Monsanto, Friboi, Seara e a multinacional Dow. Ainda nessa onda implantou o Wealth Labs para pesquisa e inovação continuada.
  • 2014 – A primeira viagem ao Vale do Silício para participar de um evento da Oracle deu início a um novo projeto para compartilhar essa realidade com o time.
  • 2015 – Lançamento do Portal de Ideias para envolver os clientes e a base de 10.000 usuários. A melhor ideia foi desenvolvida e o cliente (autor) ganhou uma viagem para Disney. Em 2016, o cliente e o colaborador que forem os vencedores embarcam em uma viagem de imersão ao Vale do Silício.
  • 2016 – Início da operação de uma unidade extensiva e permanente da Wealth no Vale do Silício com dois colaboradores fixos e um time de mais seis pessoas indo e vindo para evangelização no Brasil, onde começou um novo desafio: criar uma identidade global.
  • 2017 – Programada uma expedição de estudo e ambientação no mercado europeu.
  • 2018 – Plano consolidado para expansão e presença global iniciando pela Europa e EUA.

E essa conversa não parou por aqui!

Acesse agora mesmo as 3 dicas pé no chão que o Luis compartilhou
para ajudar sua empresa se tornar um case de sucesso 😉

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

Deixe um comentário para a gente!

mm

Ana Karla Martins

Jornalista, atualmente produtora de conteúdo. Escrevo e dou pitaco sobre tudo, mas tenho carinho por assuntos que ajudam empreendedores, como eu, a serem melhores. Toco com meus dois sócios a Rulez e o Banzai Coworking, no Paraná.