Hackathon é uma maratona de desenvolvimento de programação em que jovens criam, projetam e colocam para rodar um serviço conectado em aproximadamente  36 horas de trabalho contínuo.

Pela primeira vez no mundo rolou um hackathon envolvendo empreendedores brasileiros, argentinos e paraguaios. O evento aconteceu durante o Paraná TIC 2017, que começou nesta terça em Foz do Iguaçu.

No total 23 jovens encararam o desafio do Hackathon Trinacional que premiou as três melhores ideias. Segundo o presidente da Assespro-PR, Adriano Krzyuy, a temática tem a ver com as demandas energéticas atuais.

Certamente o esforço empregado contará como uma experiência profissional única dentro da carreira destes novos profissionais.

Adriano KrzyuyPresidente da Assespro-PR

Entre os desafios do hackathon:

👉🏻 Como simplificar o conforto técnico doméstico e de escritórios para exigir menos uso de ar condicionado?

👉🏻 Como usar ou criar serviços financeiros que facilitem o uso de serviços de redução de consumo?

👉🏻 Como treinar os próximos profissionais da eletricidade para planejarem estruturas e produtos com maior eficiência?

👉🏻 Como levar a população a trabalhar ativamente e coletivamente para a redução do consumo da sua cidade?

Durante o hackathon os jovens receberam mentorias de profissionais das área de empreendedorismo, tecnologia, design e programação. Entre eles Sergio Gama (IBM), Edson Mackeenzy (fundador do Videolog) e Luís Poletti (coordenador do Iguassu Startups).

Hackathon Paraná TIC 2017

A startup Economia Paraná foi a grande vencedora do hackathon trinacional. O time criou um app para incentivar os moradores a reduzir o consumo de energia elétrica com apelo sustentável e colaborativo.

Na prática funciona como um clube de vantagens para o consumidor que economiza energia elétrica e ainda ajuda empresas a fidelizar clientes que querem adotar ações sustentáveis para proteger o planeta.

Hugo FumeroIntegrante da startup vencedora

O time de Maringá ganhou R$ 3 mil e é formado pelos estudantes da Unicesumar: Alan Secundo, Guilherme Peres, Carlos Fiori, Hugo Fumero, Denis Gasparoto e Matheus Kozuki.

O segundo lugar ficou com a equipe Industec, que foi premiada com R$ 2 mil. A startup Trash Back ganhou R$ 1 mil pela terceira colocação.

Segundo Claudio Navarro, coordenador da APL de Software de Curitiba e um dos mentores do hackathon, foram propostas novas metodologias para criar produtos mais direcionados ao controle de consumo de residências e empresas.

A sacada de todos que participaram foi pensar fora da caixa, ou melhor – foi construir uma caixa nova. Focaram no problema e não na tecnologia e com essa simplicidade criaram um produto com grande valor agregado.

Claudio NavarroCoordenador da APL de Software de Curitiba

Fotos: Leonardo Leite

SalvarSalvar

Deixe um comentário para a gente!

mm

Ana Karla Martins

Jornalista, atualmente produtora de conteúdo. Escrevo e dou pitaco sobre tudo, mas tenho carinho por assuntos que ajudam empreendedores, como eu, a serem melhores. Toco com meus dois sócios a Rulez e o Banzai Coworking, no Paraná.